Páginas

terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Um poderoso remédio


"A é um remédio poderoso."

Esse é o título de um artigo publicado na revista seleções de março de 2000, escrito por Phyllis Mcintosh.

A constatação de que a fé é um poderoso remédio, surgiu depois de vários estudos feitos com pessoas de várias faixas etárias e diferentes crenças religiosas.

Os especialistas não estudaram somente pessoas enfermas. Observaram também pessoas saudáveis e encontraram uma explicação possível para a ausência de doenças: a fé.

Mais de 30 estudos detectaram uma ligação entre o compromisso espiritual ou religioso e uma vida mais longa, ou seja, quem se dedica aos valores nobres, vive mais.

Uma pesquisa com 5.286 habitantes da Califórnia constatou que a taxa de mortalidade entre as pessoas que freqüentavam um templo religioso era menor.

Pessoas religiosas parecem ter menos tendência a depressão, suicídio, alcoolismo e outros vícios, segundo pesquisas.

A fé gera a esperança e um tipo de controle que combate o estresse.

Por essa razão, as pessoas que têm fé enfrentam melhor as doenças traumáticas, o sofrimento e a perda.

Estudos constataram, ainda, que a oração influencia o crescimento de bactérias e a cicatrização de feridas em camundongos.

Em uma pesquisa com 269 médicos, no encontro de 1996 da academia americana de médicos de família, 99% disseram acreditar que a fé religiosa pode contribuir para a cura.

Quando interrogados sobre suas experiências pessoais, 63% dos médicos afirmaram que a intervenção divina melhorou suas próprias condições de saúde.

Pesquisas realizadas pela revista Time/CNN e pela USA-Weekend demonstraram que cerca de 80% dos norte-americanos acreditam que a fé espiritual ou as orações são capazes de ajudar as pessoas a se recuperar de doenças ou ferimentos.

Além disso, mais de 60% acham que os médicos devem conversar com os pacientes sobre fé e até mesmo orar com aqueles que pedirem.

Talvez essa necessidade de unir a religião à medicina seja, em parte, uma reação a um sistema de saúde cada vez mais apressado e impessoal.

Diz o Dr. Larry Dossey, autor do livro "Rezar é um santo remédio": que na medicina, o pêndulo oscilou tanto para o lado físico que quase excluiu o elemento espiritual.

Os pacientes e muitos médicos não concordam com isso e o pêndulo começa a oscilar no sentido contrário.

Todas essas considerações feitas por médicos e especialistas dos estados unidos, vêm comprovar o que Jesus já ensinava há quase dois milênios, quando promovia alguma cura e dizia: "a tua fé te curou".

De um modo geral, o ser humano desconhece as potencialidades que traz na intimidade, em germem.

Jesus falou que a fé é capaz de remover montanhas. E, figuradamente, estava se referindo às dificuldades e obstáculos que as criaturas enfrentam em sua existência terrena.

Quem tem fé consegue remover as montanhas das enfermidades ou suportá-las com coragem e resignação.

A pessoa que tem fé remove os obstáculos mais ameaçadores, porque a sua confiança em Deus a faz forte o bastante para agir com coragem e a certeza de que triunfará.

 

Se todos os homens se achassem convencidos da força que em si trazem, e se quisessem pôr a vontade a serviço dessa força, seriam capazes de realizar tudo o que, até hoje, eles chamaram prodígios e que, no entanto, não passa de um desenvolvimento das faculdades humanas.


segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Auto-superação


Você já se sentiu, alguma vez, a pessoa mais incapaz da face da terra?

É até possível que tenha acontecido por mais de uma vez, não é mesmo?

E por que será que isso acontece?

Vamos refletir um pouco sobre essa questão.

Considere, em primeiro lugar, que você é uma pessoa única, não existe ninguém no universo igual a você.

Você tem uma soma de experiências só suas. Tem sentimentos únicos e tem limites que são só seus.

Então, é provável que ao tentar superar outra pessoa, tenha a sensação de que não é capaz e se frustre.

Se uma pessoa muito ligada a você, por exemplo, inicia um curso qualquer, e você não tem o mínimo talento para essa atividade, sente-se inferior.

Se um amigo começa um regime para emagrecer, e você está se sentindo um pouco acima do peso, faz o mesmo regime e não perde uma única grama, sente-se a pessoa mais infeliz.

Se, na academia que freqüenta, as pessoas ao seu redor fazem proezas enquanto você apenas faz tentativas vãs, a vontade de desistir é quase inevitável.

Essas, entre tantas outras situações, podem ocasionar desestímulo e sensação de fracasso.

No entanto, ao admitir que você é um ser único, e não há no universo ninguém igual a você, todas as frustrações desaparecem.

Você, ao invés de olhar ao redor, tentando superar os outros, buscará conhecer suas próprias possibilidades, talentos e limitações, e buscará superar a si mesmo.

E então, cada conquista, ainda que mínima, será uma vitória real.

Considere que você, e somente você, deve servir de parâmetro quando se trata de conquistas próprias.

As conquistas dos outros são dos outros, e todos tiveram ou têm limitações a superar ou talentos conquistados com os próprios esforços.

Não há dúvida que podemos almejar determinadas conquistas que outros já possuem, mas não devemos querer tê-las prontas.

Cada esforço deve ser envidado com lucidez, pela auto-superação, e não pela superação dos outros.

Sempre existe algo que você faz melhor que os outros e algo que os outros fazem melhor que você, e isto não é motivo para desanimar.

A verdadeira grandeza está justamente em reconhecer essa realidade e aceitá-la com maturidade.

Embora haja um forte apelo social para que acreditemos que somos uma massa uniforme, que devemos seguir determinados padrões, nós continuamos a ser indivíduos únicos.

Reflita sobre essas questões e tenha uma conversa consigo mesmo.

Analise-se com carinho e atenção, para conhecer seus limites e tente superá-los, sem neuroses.

Conheça seus talentos e reforce-os, sem pretensões descabidas.

Busque a auto-superação e não a superação dos outros.

Cresça de forma efetiva, para ser a cada dia melhor que no dia anterior. Melhor que você mesmo, e não melhor que os outros.

Não há clones de você e tampouco você é clone de alguém, por mais que se pareça fisicamente com outra pessoa.

Nem mesmo irmãos gêmeos estão nivelados nas experiências. Cada um tem seus limites e potencialidades singulares.

Pense nisso!

Você é um espírito ímpar.

Pode até imitar muito bem outras pessoas, mas ainda nisso você será sempre inigualável.

Seu perfume espiritual é único. Suas emoções são intransferíveis.

Deus criou você para que seja você mesmo, ninguém mais.

Pense nisso, e busque vencer os próprios limites para ser cada dia melhor que na véspera.


domingo, 25 de dezembro de 2016

Noite de NATAL em Florânia RN


O editor desse Blog esteve ontem em Florânia RN e na oportunidade eu e as pessoas de Altieres, Janaine, Célia, Vavá e Joaquim colocamos os assuntos em dia em um churrasco animado e amigável.

Deus seja louvado na vida dessa galera do bem.





terça-feira, 13 de dezembro de 2016

NOTA SOBRE EQUIPES DO SEVILHA SÃO VICENTE NO SERIDOSÃO 2016


Pré-Mirim nas semi-finais (sabado)
Mirim e Infantil nas quartas (quinta)
Vagas garantidas, agora só nos falta o combustível. Quem puder pode nos ajudar comprando um sorteio por apenas dois reais.
Nos ajude a continuar representando nosso município.

sábado, 5 de novembro de 2016

2ª Novena - Festa do Bom Jesus Aparecido 2016


A Festa do Bom Jesus Aparecido, a cada dia  a Capela recebe seus devotos para juntos dividir suas alegrias e vivas.

Na noite de ontem (04) teve Novena e Missa, celebrante Padre Gleiber Dantas de Melo, pároco da Paróquia de são Sebastião de Florânia RN.

Após o Novenário teve o Leilão popular.
 





sexta-feira, 4 de novembro de 2016

Abertura da Festa do Bom Jesus Aparecido


Na noite de ontem (03) a comunidade Ipueira Cercada, iniciou os festejo em honra ao seu Padroeiro Bom Jesus Aparecido. O Acólito Umberto Medeiros foi o pregador da primeira Novena.


A mais bela flor


O bosque estava quase deserto, quando o homem sentou-se para ler, embaixo dos longos ramos de um velho carvalho.

Estava desiludido da vida, com boas razões para chorar, pois o mundo estava tentando afundá-lo.

E como se já não tivesse razões suficientes para arruinar o seu dia, um garoto chegou, ofegante, cansado de brincar.

Parou na sua frente, de cabeça baixa e disse, cheio de alegria:

"Veja o que encontrei!"

O homem olhou desanimado e percebeu que na sua mão havia uma flor.

"Que visão lamentável!" Pensou consigo mesmo.

A flor tinha as pétalas caídas, folhas murchas, e certamente nenhum perfume.

Querendo ver-se livre do garoto e de sua flor, o homem desiludido fingiu pálido sorriso e se virou para o outro lado.

Mas ao invés de recuar, o garoto sentou-se ao seu lado, levou a flor ao nariz e declarou com estranha surpresa: "O cheiro é ótimo, e é bonita também...

Por isso a peguei. Toma! É sua."

A flor estava morta ou morrendo, nada de cores vibrantes como laranja, amarelo ou vermelho, mas ele sabia que tinha que pegá-la, ou o menino jamais sairia dali.

Então estendeu a mão para pegá-la e disse, um tanto contrafeito: "Era o que eu precisava."

Mas, ao invés de colocá-la na mão do homem, ele a segurou no ar, sem qualquer razão.

E, naquela hora, o homem notou, pela primeira vez, que o garoto era cego e que não podia ver o que tinha nas mãos.

A voz lhe sumiu na garganta por alguns instantes...

Lágrimas quentes rolaram do seu rosto enquanto ele agradecia, emocionado, por receber a melhor flor daquele jardim.

O garoto saiu saltitando, feliz, cheirando outra flor que tinha na mão, e sumiu no amplo jardim, em meio ao arvoredo.

Certamente iria consolar outros corações que, embora tenham a visão física, estão cegos para os verdadeiros valores da vida.

Agora o homem já não se sentia mais desanimado e os pensamentos lhe passavam na mente com serenidade.

Perguntava a si mesmo como é que aquele garoto cego poderia ter percebido sua tristeza a ponto de aproximar-se com uma flor para lhe oferecer.

Concluiu que talvez a sua auto-piedade o tivesse impedido de ver a natureza que cantava ao seu redor, dando notícias de esperança e paz, alegria e perfume...

E como Deus é misericordioso, permitiu que um garoto, privado da visão física, o despertasse daquele estado depressivo.

E o homem, finalmente, conseguira ver, através dos olhos de uma criança cega, que o problema não era o mundo, mas ele mesmo.

E ainda mergulhado em profundas reflexões, levou aquela feia flor ao nariz e sentiu a fragrância de uma rosa...



Verdadeiramente cego é todo aquele que não quer ver a realidade que o cerca.

Tantas vezes, pessoas que não percebem o mundo com os olhos físicos, penetram as maravilhas que os rodeiam e se extasiam com tanta beleza.

Talvez tenha sido por essa razão que um pensador afirmou que "O essencial é invisível aos olhos."